domingo, 25 de outubro de 2009

Quando

Quando eu era criança, Deus era melhor
Alongava a novidade
E nenhuma coisa tinha um fim
Nem o mundo nem nenhuma vida

Deus era mais eterno
E o medo que eu tinha era do escuro
E não do homem

O noticiário era mais tranqüilo
E as tragédias de verdade nunca aconteciam
E não era tão vergonhoso ir até a casa do vizinho ver televisão
Ou emprestar copos de comida

Eu tinha os corações que desejava
Justamente por não desejar coração nenhum
E eu não era tão ridículo
Nem tão feio como me dizem por aí
E nem sempre era o último a ser escolhido
Nas brincadeiras de escolha

As pequenas tristezas aconteciam
E eram porque não se tinha o brinquedo
Não porque não se tinha uma pessoa

Eu não era tão corcunda
E nem me importava se tinha só um par de sapatos
Porque eu não olhava tanto para eles
Como faço hoje quando caminho

Deus amenizava a minha estupidez
Porque colocava graça na bobeira burra
De toda pequena pessoa quando boba

As coisas eram mais iguais
E mesmo o garoto monstro da quinta casa era feliz
Mesmo o amor paraplégico ainda era amor
Mesmo a luz de velas ainda era luz
Mesmo todos eram o coração do mundo
E não só poucos alguns

Quando eu era criança, Deus era melhor
Porque talvez também fosse Ele mais criança.


Adrian L.)

3 comentários:

Renata disse...

Maravilhoso!Sou sua eterna fã e to morrendooo de saudades!beijos
Renata

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

nice,

A